Logo ADESG

ADESG Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra

Administração Nacional - RJ

Menu Principal

07:58

Menu Lateral

Você está em: ADESG » Notícias » Geral » Segurança » Visualizar notícia:

Diminuir FonteAumentar Fonte

ADESG - Sensação de insegurança na capital paulista aumentou, aponta pesquisa

Sensação de insegurança na capital paulista aumentou, aponta pesquisa

A sensação de insegurança ficou maior entre os paulistanos em 2012, de acordo com pesquisa feita pela Rede Nossa São Paulo. Segundo os Indicadores de Referência de Bem-Estar no Município (Irbem), 91% dos moradores acham pouco ou nada seguro viver na cidade. Em 2011, a percepção alcançava 89%.

O que mais gera medo entre os cidadãos é a violência em geral com 71% das respostas, seguido de assalto ou roubo (63%) e sair à noite (41%). Foram entrevistados 1.512 moradores da capital paulista entre os dias 24 de novembro e 8 de dezembro. No geral, o índice atingido pela avaliação que incluiu 169 itens, divididos em 25 áreas, foi de 4,7 numa escala de um a 10.

De acordo com a pesquisa, a maioria dos itens registrou diminuição das notas, com 81% deles registrando notas abaixo na média de aprovação de 5,5. Entre os 58% dos entrevistados que nasceram em São Paulo e os 42% que não nasceram, mas escolheram a cidade para viver, 62% disseram que a qualidade de vida piorou. Outros 56% disseram que sairiam da cidade se pudessem.

No item saúde, a pesquisa mostrou que três em cada dez pessoas têm plano de saúde privado. Para aqueles que não têm, o tempo médio para utilização dos serviços públicos aumentou ao passar de 52 para 66 dias para as consultas; de 65 para 86 dias para os exames e de 146 para 178 para procedimentos mais complexos.

Com relação ao transporte público, 70% dos entrevistados aparecem como usuários de ônibus, porcentagem igual à do ano passado, e o tempo de espera no ponto passou de 22 para 21 minutos.

Os dados foram apresentados em evento com a presença do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que atribuiu a nota dada pelos paulistanos à qualidade de vida no município à falta de comunicação. Segundo ele, é preciso expor as informações para os cidadãos sem reservas, com mais clareza. “Quanto mais se explicar para as pessoas, mas se vai angariar apoio para as difíceis decisões que o dia a dia impõe”.

Haddad analisou que a violência na cidade é gerada pela falta de equipamentos públicos que acolham o cidadão, pela falta de policiamento ostensivo e noturno e de polícia comunitária mais próxima dos moradores.

“Uma das providências que pedi para tomar foi a utilização dos policiais contratados [por meio da Operação Atividade Delegada, em convênio com o governo estadual] para atuar à noite, que é quando a cidade se torna mais violenta”.

O prefeito disse que a prefeitura vai se colocar à disposição do governo estadual para auxiliá-lo na melhoria da condição de segurança, além de analisar contratos, como o de iluminação pública.

Durante o evento Sugestões de Metas, Haddad recebeu um documento com propostas para a composição do plano de metas que seu governo deve apresentar neste ano e o manifesto Eliminando a Violência na Raiz de suas Causas, também lançado no encontro.

A Secretaria de Segurança Pública do governo do estado foi procurada pela Agência Brasil para avaliar o crescimento da percepção de insegurança do paulistano, mas informou que não comenta pesquisas.

Fonte: Flávia Albuquerque/Repórter da Agência Brasil

« voltar

Notícias Relacionadas

» Veja todas as notícias

Entre em contato

"Um só Coração e uma só Alma pelo Brasil" Logo ADESG ADESG Nacional - +55 (21) 2262-6400
Palácio Duque de Caxias
Praça Duque de Caxias nº 25 - 6º andar - Ala Marcílio Dias
CEP 20221-260 - Rio de Janeiro - RJ