Logo ADESG

ADESG Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra

Administração Nacional - RJ

Menu Principal

17:07

Menu Lateral

Você está em: ADESG » Notícias » Geral » Segurança » Visualizar notícia:

Diminuir FonteAumentar Fonte

ADESG - O Fortalecimento da gestão do risco de desastres no Estado do Paraná

O Fortalecimento da gestão do risco de desastres no Estado do Paraná

Em março de 2011, no início da primeira gestão do Governo Beto Richa, o litoral do Paraná foi atingindo por um dos maiores e mais relevantes desastres da história do Estado. O evento conhecido como “Águas de Março” afetou os municípios de Paranaguá, Morretes, Antonina e Guaratuba. Foram registrados quase 300 mm de chuva em apenas um dia. Ocorreram deslizamentos generalizados, enxurradas, alagamentos e inundações em toda a região. A Regional de Defesa Civil do Litoral contabilizou 2499 desabrigados, 10761 desalojados, 4051 residências atingidas e 3 óbitos. O Corpo de Bombeiros resgatou por terra 626 pessoas de áreas isoladas e 190 pessoas com o emprego de aeronaves do Governo do Estado. A infraestrutura da região do litoral foi severamente atingida, com a destruição de pontes, estradas e sistemas de abastecimento de água, telefonia e energia elétrica. No momento mais agudo da crise o Litoral do Paraná ficou completamente isolado do restante do Estado. Foi necessária uma grande cooperação entre os diversos envolvidos nas ações de resposta e recuperação para poder auxiliar na minimização do impacto causado na região. O desastre de março de 2011 evidenciou vários aspectos que necessitavam de aperfeiçoamento, desde o monitoramento, até as ações de gestão entre as diversas agências do estado e o desenvolvimento de um trabalho para aumentar a resiliência das comunidades afetadas.
Neste sentido, O Governador Beto Richa decidiu que era necessário fortalecer a capacidade de prevenção e resposta a desastres, que devem ocorrer com maior frequência, devido às Mudanças Climáticas. A base institucional para tal fortalecimento foi desenvolvida a partir do Projeto Multissetorial para o Desenvolvimento do Paraná, sendo inserido no escopo do projeto um eixo denominado Fortalecimento da Gestão do Risco de Desastres (FGRD). Desta forma o FGRD se integrou à política de desenvolvimento do estado, atuando de forma transversal em diversos setores que passaram a incorporar a redução do risco de desastres em suas ações.
O Governo do Paraná proporcionou e está viabilizando uma moderna infraestrutura de monitoramento e previsão hidrometeorológica, de mapeamentos de riscos, de obras de infraestrutura e de levantamento de informações e desenvolvimento de sistemas com aplicação direta na gestão e na redução do risco de desastres. Diversas instituições e órgãos governamentais integram o FGRD, dentre as quais se destacam a Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, por meio do Instituto das Águas do Paraná (Águas Paraná), do Serviço Geológico do Paraná (MINEROPAR) e do Instituto de Terras, Cartografias e Geociências (ITCG), da Casa Militar da Governadoria, por meio da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil e do o Sistema Meteorológico do Paraná, vinculado à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.
Em linhas gerais, os principais objetivos do Programa FGRD consistem em:
- investir em equipamentos de monitoramento e alerta meteorológico;
- elaborar mapas de risco, planos de contingência, bases cartográficas;
- integrar as ações do governo e da sociedade em medidas de prevenção e resposta rápida a desastres.
Investimentos já realizados, de mais de R$ 25 milhões
- aquisição e instalação de um novo radar meteorológico em Cascavel, concluída em 2014, para cobertura do oeste do Estado, com investimentos de R$ 10 milhões da SETI/Fundo Paraná e SIMEPAR;
- aquisição e instalação de 137 estações hidrológicas, para monitoramento meteorológico, com investimentos de R$ 4,5 milhõescom recursos da SETI/Fundo Paraná e SEMA/FGRD
- aquisição de computador de alto desempenho e outros sistemas computacionais de alta capacidade, para melhorar a acurácia das previsões meteorológicas e permitir simulações matemáticas de cenários climáticos, com investimentos de R$ 3,2 milhões, com recursos da SEMA/FGRD;
- aquisição de estações móveis e fixas, para monitoramento atmosférico urbano, com investimentos de R$ 6 milhões, com recursos da SEMA/Projeto Multissetorial para o Desenvolvimento do Paraná
- aquisição de 16 postos de comando móvel para as Coordenadorias Regionais de Proteção e Defesa Civil, com investimentos de R$ 2.297 milhões da SESP/FUNESP;

Investimentos em andamento e programados para 2016 e 2017, R$ 44 milhões
- aquisição de sensores hidro-meteorológicos, para expandir o monitoramento nos municípios com histórico de desastres, com investimentos de R$ 2,5 milhões da SETI/Fundo Paraná;
- aquisição e instalação de cinco novos radares meteorológicos Banda X, a serem implantados no Litoral, Região Metropolitana de Curitiba, Maringá e Londrina, com investimentos de R$ 16 milhões da SEMA/FGRD;
Somados ao radar do termo de cooperação entre o Governo do Estado/JICA/JRC e aos dois radares já em operação, colocam o Paraná em posição de vanguarda no Brasil;
- expansão do sistema de detecção de descargas atmosféricas, com investimentos de R$ 1,4 milhão da SEMA/FGRD;
- execução de base cartográfica detalhada de áreas de risco no Litoral, com investimentos de R$ 593 mil, da SEMA/FGRD;
- mapeamento de riscos de deslizamento na Região Metropolitana de Curitiba, com investimentos de R$ 1,2 milhão da SEMA/FGRD;
- celebração de Contrato de Gestão entre a SEMA/SETI/ÁGUAS PARANÁ/SIMEPAR visando a manutenção e operação da rede de monitoramento hidro-meteorológico do Estado e desenvolvimento de estudos de alerta de inundações, com investimentos de R$ 2,5 milhão da SEMA/FGRD;
- mapeamento da Cobertura da Terra no PR (1º mapeamento sistemático), com investimentos de 3.5 milhões da SEMA/FGRD;
- implantação do Centro Estadual de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CEGERD) da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil em Curitiba e aquisição de equipamentos para 16 salas regionais de gestão de desastres com investimentos de R$ 5.6 milhões da Casa Militar/FGRD;
- fortalecimento da estrutura de resposta a desastres nas 16 Coordenadorias Regionais de Proteção e Defesa Civil. Aquisição de viaturas e equipamentos, para atender a eventos de águas rápidas, inundações, enxurradas, alagamentos, busca e resgate em estruturas colapsadas e em deslizamentos de terreno. Inclui a aquisição de equipamentos de escavação e movimentação de terra e de destroços, para o ano de 2016, com investimentos de R$ 8 milhões da Casa Militar/FGRD;
- treinamento e capacitação de Agentes de Proteção e Defesa Civil do Estado do Paraná, por meio do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas Sobre Desastres, com investimentos de R$ 1,1 milhão da Casa Militar/FGRD.
Ações de Planejamento e Gestão Integrada Resultantes do FGRD
- criação do Conselho Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPRODEC) composto por 27 membros, por meio do Decreto Estadual nº 9557, de 6 de dezembro de 2013, ampliando a integração, a participação da sociedade e a transparência das ações do Governo do Paraná;
- criação do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED) por meio do Decreto Estadual nº 9557, de 6 de dezembro de 2013, com forte articulação com os meios acadêmicos;
- instituição do Sistema Paranaense de Informações para a Gestão do Risco de Desastres (SIGRISCO Paraná) por meio do Decreto Estadual nº 9941, de 23 de dezembro de 2014;
- promulgação da Política Estadual de Proteção e Defesa Civil, por meio da Lei Estadual nº 18.519, de 23 de julho de 2015, estabelecendo diretrizes e responsabilidades do governo e de atores sociais na prevenção e resposta a desastres;
- inovações e melhorias no Sistema Informatizado da Defesa Civil do Estado, onde o mesmo foi premiado em 2015 na III Conferência Mundial da ONU sobre Redução do Risco de Desastres em Sendai no Japão com o 1º lugar em sistemas de uso interno para apoio aos municípios na região das Américas;
- apoio aos municípios na realização de Planos de Contingência – modelo único no país;

O TERMO DE COOPERAÇÃO ENTRE O GOVERNO DO PARANÁ, A AGÊNCIA DE COOPERAÇÃO DO JAPÃO (JICA) E A EMPRESA JAPAN RADIO COMPANY (JRC)
O Estado do Paraná, por meio da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil, firmou parceria com a Agência de Cooperação do Japão (JICA), a JRC – empresa japonesa do ramo de radares e o Sistema Meteorológico do Paraná - SIMEPAR para a implantação de novas tecnologias no Paraná.
Neste sentido, a JICA e a JRC instalarão um radar Banda X e um Sistema de Previsão de Deslizamentos.
O radar fará o monitoramento de parte da Região Metropolitana de Curitiba, coletando as informações pluviométricas e cruzando-as com as informações dos deslizamentos já ocorridos nesta região. Com isso, Sistema de Previsão de Deslizamentos possibilitará a indicação de prováveis ocorrências, permitindo a emissão de alertas antecipados de desastres.
A JRC é uma empresa com mais de 100 anos de existência e que tem atuação integrada com a Agência Meteorológica do Japão, de maneira que possui vários radares atuando na informação meteorológica do país.
A ação se alia com o desenvolvimento das ações da Defesa Civil no Estado do Paraná que tem se empenhado para agir na prevenção dos desastres e para criar comunidades resilientes, que consigam se manter seguras no caso de eventos meteorológicos severos.
A partir das novas tecnologias que o Paraná tem trazido, os municípios conseguirão ter muito mais informações para que consigam ter planejamento e políticas sociais que diminuam o impacto dos desastres dentro do território paranaense.

Fonte: Ten.-Cel. QOBM Edemilson de Barros Coordenador Executivo de Proteção e Defesa Civil do Estado do Paraná Especialista em Gestão de Emergência e Desastres pela AVM Faculdades Integradas barros@casamilit

« voltar

Notícias Relacionadas

» Veja todas as notícias

Entre em contato

"Um só Coração e uma só Alma pelo Brasil" Logo ADESG ADESG Nacional - +55 (21) 2262-6400
Palácio Duque de Caxias
Praça Duque de Caxias nº 25 - 6º andar - Ala Marcílio Dias
CEP 20221-260 - Rio de Janeiro - RJ