Logo ADESG

ADESG Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra

Administração Nacional - RJ

Menu Principal

02:56

Menu Lateral

Você está em: ADESG » Notícias » Geral » Pesquisa e Inovação » Visualizar notícia:

Diminuir FonteAumentar Fonte

ADESG - Como a negligência sofrida na infância afeta a memória de mulheres usuárias de crack

Como a negligência sofrida na infância afeta a memória de mulheres usuárias de crack

O que é a pesquisa?
Já se sabe que a natureza e a gravidade perda de memória em usuários de substâncias psicoativas podem variar de indivíduo para indivíduo. No entanto, o estudo e a identificação dessas variações não vêm sendo foco das pesquisas neurocognitivas em usuários de drogas, principalmente de cocaína e crack. Além disso, estudos mostram que a vulnerabilidade dos indivíduos à dependência de drogas está relacionada às experiências adversas obtidas na infância. Essas experiências são um dos fatores que podem contribuir para distinções nos padrões de uso, no desenvolvimento da dependência e no prognóstico do tratamento.

Desse modo, a pesquisa desenvolvida no Departamento de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) buscou investigar os efeitos das negligências ocorridas durante a infância na memória em mulheres dependentes de crack. Essa negligência, na maioria das vezes, vem de maus-tratos, e ainda é pouco investigada na literatura científica. Em particular, tal fato caracteriza-se pela falha por parte do cuidador em suprir as necessidades básicas – físicas ou emocionais – da criança.
Como é feita a pesquisa?
Esta pesquisa é um estudo comparativo que incluiu um total de 84 mulheres dependentes de crack. As participantes foram recrutadas após admissão em uma unidade de des xicação para dependentes de álcool e drogas, na cidade de Porto Alegre. As mulheres foram divididas em dois grupos: 32 com história de negligência na infância e 52 participantes sem o mesmo histórico. Para selecionar as participantes com histórico de negligência, foi utilizado o Childhood Trauma Questionnaire (CTQ) – Questionário de trauma infantil. O CTQ é um instrumento autoaplicável em adolescentes e adultos, o qual investiga história de abuso e negligência durante a infância. Além disso, foi aplicada também uma avaliação clínica suplementar, considerando variáveis que poderiam interferir no desempenho das tarefas de memória (memória imediata e memória tardia). Para avaliação de memória, foi usada uma tarefa experimental baseada no California Verbal Learning Test (CVLT-II) – Teste de Aprendizagem Verbal Califórnia e uma tarefa de memória lógica da escala Weschler.

A tarefa experimental utilizada caracteriza-se pela recordação de uma lista de palavras ao longo de cinco tentativas (recordação imediata) e uma recordação tardia, após 25 minutos. Além disso, essa tarefa permite medir a aprendizagem ao longo da recordação imediata e, através desses dados, uma dada curva de aprendizagem é criada. Por outro lado, a tarefa Memória Lógica caracteriza-se pela leitura de duas histórias distintas, uma por vez, com sua respectiva recordação logo a seguir. Após 25 minutos, os indivíduos são solicitados a recontarem a história, porém sem uma nova apresentação.
Qual a importância da pesquisa e possíveis aplicações?
Os resultados indicam que o grupo de mulheres que apresentaram histórico de negligência na infância possui uma recordação imediata inferior em ambas as tarefas de memória, isso quando comparado ao grupo que não reportou tal histórico. Também, ao longo das tentativas de recordação livre, o grupo com negligência na infância demonstrou prejuízos em relação à curva de aprendizagem, especialmente nas últimas duas tentativas para recordação da lista de palavras.

Esses resultados sugerem que dependentes de crack, expostos à negligência durante a infância, apresentam prejuízos significativos na memória imediata e no que se refere ao processo de aprendizagem. Assim, sugerem que possivelmente exista uma relação entre os processos de codificação de memória e as experiências de vida adversas durante as fases iniciais do desenvolvimento humano.

Desse modo, tais prejuízos de memória podem possuir efeito agravante na capacidade dos pacientes dependentes de crack em entender e assimilar as informações que vêm dos programas de tratamento para des xicação. Além disso, experiências de vida adversas ao longo do desenvolvimento, a exemplo da negligência, estão relacionadas às alterações funcionais e estruturais em diferentes regiões cerebrais, incluindo regiões próxima a da memória, influenciando a vulnerabilidade de determinados processos de memória.

Pesquisador(es) Responsável(eis)
Rodrigo Grassi-Oliveira , Saulo Gantes Tractenberg , Thiago Wendt Viola
Título Original da Pesquisa
Codificação da Memória e Negligência na Infância em Dependentes de Crack
Instituição(ões)
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS
Fonte(s) Financiadora(s)
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - FAPERGS
Sugestões de leitura
Ribeiro, Marcelo; Laranjeira, Ronaldo. O Tratamento do usuário de crack. Ed. Casa leitura médica. São Paulo, 2010. Acesso em: 03 dec. 2013

Cruz, Marcelo Santos; Vargens, Renata Werneck; Ramôa, Marise de Leão. Crack. Uma abordagem multidisciplinar. Acesso em: 03 de dec. 2013.

Fonte: Canal Ciência

« voltar

Notícias Relacionadas

» Veja todas as notícias

Entre em contato

"Um só Coração e uma só Alma pelo Brasil" Logo ADESG ADESG Nacional - +55 (21) 2262-6400
Palácio Duque de Caxias
Praça Duque de Caxias nº 25 - 6º andar - Ala Marcílio Dias
CEP 20221-260 - Rio de Janeiro - RJ